terça-feira, 25 de março de 2014

Show do Gabriel O Pensador em Timbó-SC Dia 17 de Abril de 2014, noBiereck Lounge Bar

Dia 17 de Abril de 2014, estará ocorrendo na Cidade de Timbó, o show de Gabriel O Pensador, no Biereck Lounge Bar





O Se Liga Aí, Fã Clube Oficial de Gabriel O Pensador, marcará Presença no show. Você, Fã do Gabriel O Pensador, participe do grupo de discussão do Fã Clube, no Facebook
- 25.3.14

sábado, 26 de janeiro de 2013

Gabriel, O Pensador, 20 anos depois

Rapper carioca volta à música com o disco Sem crise, passadas exatas duas décadas da sua estreia, aos 18 anos Desde 2006 ele estava mais dedicado à literatura

Rapper carioca volta à música com o disco Sem crise, passadas exatas duas décadas da sua estreia, aos 18 anos Desde 2006 ele estava mais dedicado à literatura

RIO - Há exatos 20 anos, Gabriel Contino era um universitário de 18 que havia provocado um inesperado burburinho com o rap Tô feliz (matei o presidente), feito para o então recém-defenestrado Fernando Collor. Pouco tempo depois, teria que trancar o curso de Comunicação para gravar Gabriel O Pensador, seu primeiro álbum, para a Sony Music. Hoje, reconhecido como o artista que provou a viabilidade comercial do hip-hop no Brasil (com aquele disco, que estourou também Lôrabúrra, 175 nada especial e Retrato de um playboy), Gabriel está de volta às raízes. Pai de dois filhos, prepara-se para cair de cabeça na turnê do CD Sem crise, seu primeiro em sete anos, lançado no fim de 2012, de forma independente. Um trabalho que ele simplesmente não conseguia terminar.



Independente. Polêmica em feira de livros fez Gabriel compor uma canção e entusiasmar-se para finalizar um disco que já gravava há três anos

Envolvido com palestras (por conta do livro infantil Um garoto chamado Rorbeto, que lhe valeu o prêmio Jabuti em 2006) e o projeto social Pensador Futebol (que encaminha jovens carentes para divisões de base dos times), Gabriel foi deixando em segundo plano os shows e o disco que começara a gravar em 2009. O destino agiu então na forma de polêmica, há um ano, quando o escritor Fabrício Carpinejar contestou o cachê de R$ 170 mil que o rapper receberia para participar (com distribuição de dois mil livros e um show) da Feira do Livro de Bento Gonçalves (RS). Gabriel reagiu devolvendo o dinheiro e fazendo uma música sobre o incidente, Linhas tortas, em que passa sua vida a limpo, lembrando a tia-avó que lhe deu uma máquina de escrever e o pai, que reprovava sua opção pelo rap.

(A polêmica) foi uma coisa que me fez mal, compus essa música como desabafo diz o rapper, que lançou a faixa logo depois, com êxito, na internet. Eu me distraí com outras coisas, que me consumiam muito tempo e energia. Essa reverência à minha profissão de artista, de compositor e poeta, isso me fez bem. Ao mesmo tempo em que eu falava aquilo, eu escutava.

Pouco tempo depois, ele voltou de uma viagem de férias à Indonésia com a ideia para uma nova música, em que refletia sobre o que andava fazendo do seu tempo. Para dividir No ritmo, no tempo, ele chamou a ConeCrewDiretoria, grupo de rappers da nova geração, fãs de Gabriel desde crianças e (para sua surpresa) ídolos dos seus filhos, Tom (de 10 anos) e Davi (de 7).

Eu sabia que a Cone estava bem, mas não sabia que eles eram uma febre entre as crianças conta Gabriel. Eu não punha nenhum CD meu, nem qualquer CD de rap para os meus filhos escutarem, e quando vi, eles estavam fazendo rimas motivados pela Cone. Davi, que é o mais desinibido, já subiu até ao palco para fazer dueto comigo.

Na turnê, batalhas de rimas

Diante do surto de composição (e da súbita consciência do seu papel no rap brasileiro), Gabriel viu que tinha que acabar o disco, o que fez, enfim, com a ajuda do produtor Fernando Deeplick. E resolveu que levaria para a estrada, além do show, o projeto Rimadores Anônimos, de batalhas de rap entre novos talentos, que ele apresenta junto com o rapper Beleza. É onde ele encontra aquele Gabriel Contino de 18 anos.

Lembro bem da dificuldade que era achar quem fizesse rap. No Rio, era uma meia dúzia. Em São Paulo, Racionais e Thaíde já tinham lançado discos, e eu fui lá conhecer os caras recorda-se. De repente, fiz sucesso. Antes dos outros aqui do Rio e mais do que os de São Paulo. Um sucesso numa outra esfera. Mas era uma coisa que eu queria mesmo. Minha proposta foi levar o rap para um público mais eclético.

Agora que, por conta própria, Tom está descobrindo o disco Gabriel O Pensador e perguntando ao pai o que é ditadura (mencionada na música Abalando) e por que ele vai ter que servir o Exército (tema de Indecência militar), o rapper diz ter um grande apreço por esse seu trabalho de juventude. E diz que mudaria pouca coisa.

Lôrabúrra tem umas frases machistas, mas elas cabiam ali, para dar contundência analisa. Tipo aquelas coisas do só vou te usar, que hoje eu não colocaria daquela forma.

Fonte: oglobo.com
- 26.1.13

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Fotos e Vídeo Do Show do Gabriel O Pensador em Bombinhas-SC




Gabriel O Pensador chamou uma fã no Palco , no Show em Bombinhas-SC,para cantar a música 2345mei78



Lello e Istives Padilha, no camarim com Gabriel O Pensador




Gabriel O Pensador chamou para o Palco, os 2 participantes da Batalha de Mc´s, primeiramente veio ao Palco Akuan Brito, vencedor da Batalha de Mc´s e depois Gabriel chamou Rodrigo Silva, também ao palco para improvisar! Os fãs Lello e Istives Padilha, também foram citados em um improviso feito por Gabriel O Pensador, que vocês podem conferir no Vídeo abaixo a citação, a partir dos 5 minutos e 57 segundos.










Visite também: http://www.fcseligaai.blogspot.com, o blog do fã clube oficial do Gabriel O Pensador!
- 2.1.13

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Gabriel O Pensador lança novo álbum e comemora a consolidação do rap nacional: "eu vejo isso como a realização de um desejo antigo"



Gabriel O Pensador está de volta. Sete anos após Cavaleiro Andante, o sexto álbum do rapper, Gabriel acaba de lançar Sem Crise, um álbum musicalmente pop como os anteriores, mas com letras mais reflexivas; em vez de apontar o dedo para os outros, Gabriel canta muito mais sobre ele mesmo e a visão que o letrista carioca tem sobre temas diversos.

Durante o hiato entre os dois discos, Gabriel investiu em outras frentes: escreveu livros, coordenou ONGs, curtiu a família e repensou seu momento de vida, mais maduro, centrado e tranquilo.

Exemplo disso é Surfista Solitário, o single mais recente do disco. A faixa foi inspirada pelo desejo que Gabriel tinha de voltar a surfar, e se baseia em Solitário Surfista, de Jorge Ben Jor, lançada em 1980. No lugar do sample, a opção mais prática e tradicional se tratando de rap ou hip-hop, Gabriel convidou Ben Jor para regravar sua participação na música, certamente a de maior apelo pop no álbum.

As participações são outra marca registrada de Sem Crise. Além de Jorge Ben Jor, nomes como Carlinhos Brown, Rogério Flausino (Jota Quest), Nando Reis e ConeCrew Diretoria participam do disco, e ajudam a compôr o retrato contemporâneo de um dos nomes mais conhecidos do rap nacional.

Mas nascido em meio à maior explosão do rap nacional em todos os tempos, com a ascensão de Criolo, Emicida, Projota e - por que não? - ConeCrew Diretoria, onde será que se encaixa o rap de linguagem simples e assumidamente pop de Gabriel? O Virgula Música conversou com o rapper sobre esse assunto, e todos os detalhes de Sem Crise. Confira:

Foram sete anos desde Cavaleiro Andante, seu álbum anterior. Por que tanto tempo sem gravar?

Gabriel O Pensador - Vários motivos. Mas o principal foi a falta de um prazo, de uma gravadora cobrando. Eu curti a turnê de Cavaleiro Andante por um bom tempo, antes de pensar em compôr coisas novas. Depois comecei a fazer uns projetos paralelos, e muitas palestras com os meus livros. Eu ganhei um [prêmio] Jabuti em 2006, e a partir desse período comecei a ser chamado para mais eventos literários. E o futebol também. Foi uma coisa que começou por acaso, para ajudar uns garotos que queriam jogar bola, e foi ficando cada vez mais sério. E no meio disso tudo comecei a compôr. Parte das músicas já estavam prontas há um tempo, mas sem prazo entra o perfeccionismo do produtor, meu também, e aí o processo foi ficando mais longo.

Você citou seus livros, seu ofício como escritor. Escrever versos para poemas é muito diferente de criar versos para raps e rimas, na sua opinião?

Gabriel O Pensador - O contato com o público é muito parecido, por causa do tipo de linguagem que uso nos livros, uma coisa mais simples. Eu tento conversar com o jovem, com o adulto e com as crianças, também. Tem muitas semelhanças com o que eu faço na música, porque eu tô ali, levo os meus poemas pra declamar, mas por outro lado, apesar de ser rapper, eu aprendi a prestar mais atenção às melodias, às pausas, à respiração, e isso não tem no livro. Mas em relação às letras, é bem parecido mesmo.



Você citou seus livros, seu ofício como escritor. Escrever versos para poemas é muito diferente de criar versos para raps e rimas, na sua opinião?

Gabriel O Pensador - O contato com o público é muito parecido, por causa do tipo de linguagem que uso nos livros, uma coisa mais simples. Eu tento conversar com o jovem, com o adulto e com as crianças, também. Tem muitas semelhanças com o que eu faço na música, porque eu tô ali, levo os meus poemas pra declamar, mas por outro lado, apesar de ser rapper, eu aprendi a prestar mais atenção às melodias, às pausas, à respiração, e isso não tem no livro. Mas em relação às letras, é bem parecido mesmo.

?A sua carreira como escritor é abordada na letra de Linhas Tortas, uma das faixas mais polêmicas do álbum, em que você relembra a sua trajetória profissional e pessoal inspirado pelo episódio polêmico na Feira do Livro de Bento Gonçalves, no ano passado. Por que você quis contar essa história?

Gabriel O Pensador - Essa música nasceu a partir de uma polêmica na Feira do Livro de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul [em abril deste ano]. O prefeito queria me contratar por R$ 110 mil para fazer shows, ser o patrono da feira, fazer uma série de palestras durante o ano, e também um pacote de compra de livros. Mas era época pré-eleitoral, e muita gente começou a reclamar - inclusive outros autores da feira, que iam receber um cachê simbólico, e isso gerou um mal-estar com todo mundo, e eu preferi cancelar toda a parte que envolvia a grana e fiz só a palestra, sem cobrar. Mas eu quis dar uma resposta para isso, que foi essa letra. Aí acabou ultrapassando esse assunto, comecei a falar do amor que eu sinto por isso, pelos livros, pela música, falo da minha vida pessoal, da saudade dos filhos. Foi muito bom fazer essa música. As poucas vezes que eu cantei essa música fiquei arrepiado, e ela me deu um gás pra terminar o disco e pra fazer turnê. A recepção tem sido muito boa.

Sem Crise tem muitas participações especiais. Você selecionou os convidados previamente, ou as ideias surgiram à medida que o álbum foi sendo produzido?

Gabriel O Pensador
- Cada uma teve uma história. Algumas já estavam planejadas, outras foram rolando. Foi bom ter essa liberdade, neste disco, de gravar com os amigos, misturar um produtor daqui com outro dali - e essa coisa de hoje em dia, de levar um HD e poder gravar na estrada. Com o Rogério Flausino, por exemplo, eu queria fazer uma referência à musica mineira, e gravamos no estúdio [do Jota Quest] com ele e com o Marcelinho da Lua, foi muito bom. Aí gravei na Paraíba, em Campina Grande, com o [sanfoneiro] Marquinhos Farias, que me recebeu muito bem. O Jorge Ben eu preferi regravar a música com ele do que samplear, essa música que mostra uma faceta minha que eu sinto falta [do surf], e o Carlinhos Brown rolou por um amigo em comum que eu tenho com ele. O Nando Reis eu queria ter em alguma música há um tempo, e ele resolveu o refrão de uma música [Boca a Boca] em que eu queria um lance mais melódico, e o ConeCrew rolou de última hora, o disco já estava sendo masterizado e veio a ideia.

Nos anos em que você ficou sem lançar discos, muitos artistas de rap e hip-hop ganharam destaque no país, saindo do underground para se apresentarem ao grande público em festivais, aparições na grande mídia, etc. Você se vê inserido nessa nova cena do hip-hop nacional ou acha que faz parte de outra geração do rap?

Gabriel O Pensador
- Eu me vejo circulando bem com todas as gerações. Tenho tido uma resposta quando eu encontro a galera nova do rap que me dá orgulho - sem marra, sem prepotência, mesmo. Tem uma galera que diz que começou a fazer rap por minha causa, que fala que o meu disco foi o primeiro que eles compraram, e são uns caras bons, até em Angola, Portugal, e isso me dá uma sensação boa por ter ajudado a divulgar o rap nos países de língua portuguesa. E por outro lado eu me inspiro, me enriqueço ao ouvir o que os caras novos tão fazendo, em todos os sentidos. Um leva pro outro, independentemente do estilo. Eu sempre tentei fazer isso acontecer, mostrar que não era só eu, então eu vejo isso como a realização de um desejo antigo.?



Fonte: virgula.uol.com.br
- 18.12.12

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Gabriel O Pensador posa na Cinelândia para capa de novo disco



Após sete anos sem lançar um álbum de estúdio, Gabriel O Pensador se prepara para seu novo trabalho, intitulado “Sem crise”. O cantor posou para a capa do disco na Cinelândia, centro do Rio e foi fotografado por Ramos Moreira. Já a arte ficou por conta do designer Rafael Dória.

“Sem Crise”, que será lançado nas próximas semanas, traz Gabriel dividindo os vocais com Carlinhos Brown e os integrantes do Afroreggae. Com produção de DJ Deeplick e André Gomes, o disco contou com convidados como Marcelinho da Lua, Maurício Pacheco, Pedro Bernardes e Papatinho -- do grupo ConeCrewDiretoria.

Fonte: Jornal Extra


Visite também: http://www.fcseligaai.blogspot.com, o blog do fã clube oficial do Gabriel O Pensador!
- 22.11.12

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Gabriel o Pensador recebeu cartas de crianças que hospedagem de site barata queriam evitar o racismo dos pais

No conteúdo exclusivo à internet do programa de Agora é Tarde com Danilo Gentili, o artista respondeu perguntas de usuários do Twitter e disse que sua música favorita é Lavagem Cerebral, que fala sobre o racismo.

“Essa música começou a tocar muito em uma época em que diziam que no Brasil não havia racismo”, contou. “Eu tinha 19 anos e recebia cartas de crianças de 12 anos que diziam: meus pais são racistas, mas eu não quero ser’. Aí bateu, eu vi que estava funcionando”.

Confira de primeira mão, a Capa do Novo CD

Gabriel o Pensador recebeu cartas de crianças que queriam evitar o racismo dos pais

Assista abaixo ao vídeo:



Deixe sua opinião, seu comentário
- 2.11.12

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Entrevista do Gabriel O Pensador no programa "Agora é Tarde"



Pra quem chegou agora e perdeu a entrevista ontem, já está disponível a entrevista com Danilo Gentili, no programa Agora é tarde

- 1.11.12

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Novo Vídeo Clipe de Gabriel O Pensador- Solitário Surfista

Confira o Novo Vídeo Clipe de Gabriel O Pensador!
Vídeo Clipe da música: Solitário Surfista






Visite também: http://www.fcseligaai.blogspot.com, o blog do fã clube oficial do Gabriel O Pensador!
- 5.10.12
 

 

Discografia + Letras

De 1992 até hoje